top of page

A pressão do desfralde


Este artigo vem na sequência de algumas publicações que fiz, sobre o desfralde. Percebi, e recebi vários feedbacks de mães que ficaram “aliviadas” com o que publiquei, e pediram-me também para escrever sobre o assunto, e por isso aqui estou.

Mais uma vez a dizer que chega de termos expectativas de adultos em relação às nossas crianças, e chega de invadirmos o espaço particular de cada um desses pequenos seres, quando isso não serve nenhum fim útil a não ser simplificar a nossa vida de adultos.

Quem diz que isto acontece no desfralde, também reconhece tantas outras áreas na infância onde o papel do cuidador se sobrepõe ao natural desenvolvimento da criança.

Mas hoje é de desfralde que falamos, e o resto deixamos para depois.

Tenho a consciência de que é um tema que se reveste de grande importância para os pais, porque em termos sociais é considerado um marco importante no desenvolvimento da criança.


Começando pelo termo – o desfralde. Afinal o que é isso de ter feito o desfralde?

Logo aí depende do que consideramos um desfralde bem-sucedido. Se formos muito rígidos, vamos dizer que uma criança está desfraldada quando tem continência diurna e noturna de esfíncteres, e realiza ambas as funções de forma autónoma. Se formos mais abrangentes, podemos dizer que se trata apenas de continência diurna, ou de a criança manifestar vontade de ir à casa de banho, quer o faça de forma autónoma quer necessite de apoio do adulto.


Existe uma idade “certa” para completar o processo do desfralde?

A esta pergunta, eu respondo com várias outras perguntas – existe uma idade “certa” para andar? Existe uma idade “certa” para falar? Não. Existe uma idade em que a maioria das crianças já completou o seu processo de desfralde, existe um intervalo de idade em que a maioria das crianças anda, existe um intervalo de idade em que a maioria das crianças diz já as suas primeiras palavras. Porque as crianças são todas diferentes, e têm o seu ritmo. No caso do desfralde, podemos dizer que 98% das crianças tem controlo diurno dos esfíncteres aos 3 anos, e que a maioria das crianças atinge este marco entre os 2 e os 3 anos. Haverá crianças perfeitamente normais que o fazem antes, e tantas outras que o fazem depois.


Existem “métodos” diferentes de desfralde?

Mais talvez do que métodos, existem abordagens diferentes no que diz respeito a este processo. No início do século XXI, dava-se muito foco à questão fisiológica, e a criança era simplesmente um participante passivo neste processo, encarado como um “treino”. Já a partir do meio do século, houve uma divisão em duas abordagens distintas – o desfralde orientado pelo cuidador, e o desfralde orientado pela criança, sendo que este último teve origem nas práticas de um grande pediatra, T. Brazelton. No que diz respeito à eficácia de ambos os métodos, podemos dizer que em crianças saudáveis ambos resultam, mas o facto é que cada vez mais se tem defendido a abordagem orientada pela criança.



O processo de desfralde é simultâneo para o cocó e para o chichi?

Geralmente a maioria das crianças começa pelo controlo do cocó, que pode ocorrer em simultâneo com o chichi também. Uma menor percentagem adquire primeiro o controlo urinário, e só depois o intestinal. Quanto à questão do controlo diurno vs. noturno, bom, é muito variável, mas o controlo noturno pode ser adquirido meses a anos após o controlo diurno, e o controlo noturno pode não acontecer até aos 5 anos de idade. Para quem gosta de números, posso ainda dizer que em média, desde o início do processo de desfralde até ao seu final falamos num período de 6 meses para o controlo diurno urinário, e 6 a 7 meses para o controlo das fezes.


Em que consiste a abordagem de desfralde orientada pelo cuidador?

Basicamente, esta abordagem consiste num sistema de condicionamento do comportamento, funcionando efetivamente como um “treino”. É o cuidador que determina a idade de início deste processo, que geralmente engloba os seguintes passos: aumentar a ingestão de líquidos durante o dia, determinar horários fixos para ir à casa de banho, reforço positivo quando há uma eliminação adequada e reforço negativo quando ocorrem acidentes. Existem situações em que tentar promover um desfralde mais precoce pode ser no interesse da criança, como por exemplo em casos de dermatite de fraldas recorrente, em que sabemos que a resolução do problema passa por deixar a fralda. De maneira que não nos apressemos a classificar como “errada” uma maneira diferente de fazer as coisas, só porque não coincide com a maneira que nós consideramos a “certa”. Há casos e casos.


E como se processa o desfralde orientado pela criança?

Neste tipo de abordagem, é dado grande importância ao início do processo de desfralde ser determinado pela presença de alguns “critérios de prontidão”, do ponto de vista não só fisiológico, mas também comportamental.

No que diz respeito à criança estar preparada para iniciar o desfralde, deve realçar-se que não tem tanto a ver com a idade cronológica, mas então sim com serem reconhecidos os tais “critérios de prontidão” a nível do desenvolvimento fisiológico e comportamental. Friso que não existe consenso se alguns dos sinais são mais importantes do que outros, ou se têm de estar presentes um determinado número deles.

Do ponto de vista fisiológico, é natural que este processo tenha de ser iniciado após os 12-18 meses de idade, pois não se espera que haja controlo dos esfíncteres antes dessa idade.


Do ponto de vista do desenvolvimento, podemos dizer que as seguintes aquisições são sugestivas de prontidão:

- Capacidade ambulatória autónoma (para se dirigir à casa de banho)

- Estabilidade na posição sentada

- Permanecer “seco” por um período considerável de horas

- Capacidade de puxar as roupas para baixo e para cima

- Linguagem compreensiva no sentido de entender pedidos simples

- Linguagem expressiva no sentido de comunicar a necessidade de ir à casa de banho


Finalmente, do ponto de vista comportamental, sugerem prontidão os seguintes itens:

- Capacidade de imitar comportamentos

- Capacidade de dizer “não”

- Demonstrar interesse nas rotinas da casa de banho

- Desejo de autonomia e controlo da função urinária e intestinal

- Diminuição de comportamentos de oposição


Uma criança que não completou o seu processo de desfralde até aos 3 anos tem algum problema no seu desenvolvimento?

Não. Quando isolado, já sabemos que a idade não é o principal fator a determinar quando é que a criança vai conseguir realizar este processo com sucesso. Portanto, vai haver uma percentagem de crianças com desenvolvimento normal que não vai completar este desfralde antes dos 3 anos. Contudo, sabemos que crianças com problemas de neurodesenvolvimento podem ter mais dificuldade em realizar este processo, e atingir este marco bem mais tarde.


E em relação à exigência de desfralde para integração no Jardim de Infância?

Este é um assunto muitas vezes trazido à consulta de pediatria, e que eu quero frisar muito bem - não há nenhum lado na lei que apresenta os Estatutos dos Jardins de Infância do sistema público de ensino pré-escolar (Decreto-Lei 542/79, de 31 de dezembro) onde essa condição seja sequer mencionada. Aliás, sabendo nós que o desfralde é um processo fisiológico dependente da criança e do meio, essa "exigência" só por si é, no mínimo, discriminatória relativamente ao desenvolvimento, à maturidade, e fisiologia próprias de cada criança. Portanto, nenhum estabelecimento público ou privado do ensino pré-escolar tem base legal para negar a inscrição de uma criança com base no desfralde, e caso tal ocorra, esse facto deve ser comunicado à instância que os regula, a Direção-Geral da Educação.


Espero ter ajudado a resumir bem e a clarificar este conceito de desfralde, e ajudar-vos a estarem tranquilos neste capítulo, e a seguirem mais as indicações que o vosso filho vos dá, e menos as que os “palpiteiros de esquina” vos sopram aos ouvidos.


Deixo-vos com alguns links para completar este tema:

- Vídeo sobre o desfralde em https://www.alexandraluzpediatra.com/videos

- Publicação sobre desfralde no instagram em https://www.instagram.com/p/CpfN2gkISOu/?utm_source=ig_web_copy_link

- Publicação sobre a exigência de desfralde para integração no JI no instagram em https://www.instagram.com/p/CfbRZOeLwqR/?utm_source=ig_web_copy_link

974 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


Les commentaires ont été désactivés.
bottom of page