top of page

Quando o olho lacrimeja sem parar!


Ontem no facebook falei um bocadinho sobre esta situação, que frequentemente causa alguma dúvida aos pais, e pode causar alguma preocupação, e hoje resolvi explorar um pouco mais, para esclarecer as dúvidas que me foram colocando. Estou a falar da obstrução do canal lacrimal, em que o que acontece é que temos um olho que lacrimeja muito mais do que o habitual. Isto acontece porque existe um "bloqueio" destes pequenos canais que são responsáveis pelo transporte das lágrimas desde o canto interno do olho através do interior do nariz. E se estes pequenos canais estão "entupidos", então vão causar sintomas, um dos quais é efetivamente o lacrimejo persistente.

Na maioria das situações, o bebé já nasce com esta obstrução, e é uma situação mesmo muito frequente nos bebés pequenos. Em crianças mais velhas, a obstrução do canal lacrimal pode resultar de infeções locais, ou de traumatismos.

Quando o canal está obstruído, os sintomas mais habituais são o lacrimejo do olho afetado, que pode acontecer de forma intermitente ou praticamente de forma constante. Também pode acontecer que as pálpebras do olho fiquem "coladas", devido às secreções que secam no olho.

Algumas vezes também o canal que está entupido pode ganhar infeção, por acumulação de bactérias nesta zona. Quando isso acontece, o olho fica vermelho, pode inchar, para além de causar dor e ganhar secreções purulentas, ou seja, amarelo-esverdeadas.

Na maior parte dos casos não é preciso exame nenhum para diagnosticar uma obstrução do canal lacrimal, pois a história é muito típica, e também na maioria das situações não é necessário nenhum tratamento em particular, porque sabemos que resolvem espontaneamente com a idade. Para além da massagem local, para favorecer a abertura do canal, pouco mais é recomendado. Aliás, podemos mesmo dizer que até aos 6 meses de vida a grande maioria das situações vai passar sem nenhuma intervenção da nossa parte.

Num pequeno número de casos, contudo, pode ser necessário algum tipo de tratamento. O que é mais comum, dentro das complicações, é a infeção do olho (conjuntivite), e essa tem de ser tratada, habitualmente com antibióticos, que podem ser colocados localmente, ou ter de ser mesmo tomados oralmente, dependendo da gravidade. Quando a obstrução do canal lacrimal não resolve espontaneamente, ou quando repetidamente leva a infeções, a criança deve ser encaminhada para observação por um oftalmologista, que vai decidir qual o melhor tratamento a fazer. Por vezes passa pela "desobstrução do canal" através da introdução de uma sonda fina, ou por dilatar o canal, para permitir a drenagem do olho. Mas isto apenas é necessário numa pequena percentagem de casos, e sempre após a avaliação pelo oftalmologista.

Já sabem, em todos os casos, é importante manter uma boa higiene dos olhos dos nossos bebés, lavando bem as nossas mãos antes de as colocarmos em contacto com os olhos, e utilizando preferencialmente compressas esterilizadas próprias para a higiene ocular.

Aqui ficam então mais algumas "dicas" desta vossa Pediatra :)

79 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Σχόλια


Ο σχολιασμός έχει απενεργοποιηθεί.
bottom of page